Mercado de Boi Gordo

29 Jun 2020

Com a Turquia fora das compras, as exportações brasileiras de gado vivo registram recuo de 53,2%

Primeiros 5 meses de 2020, o Brasil exportou um total de cabeças de 104.284, 53,2% menor que o mesmo período de 2019.

As exportações de gado vivo registraram uma desaceleração nos últimos cinco meses com a Turquia fora das compras. O médico veterinário e especialista em exportação de gado vivo, Eduardo Lund, explica que três fatores impactaram nas compras da Turquia pelo o produto Brasileiro. 

“O primeiro fator que deixaram eles afastados das compras foram os estoques que estavam abastecidos. O outro fator foi a disseminação do coronavírus que também comprometeu a economia local e a desvalorização da moeda turca em relação ao dólar dificultou as novas negociações”, comentou. 

Os primeiros 5 meses de 2020, o Brasil exportou um total de cabeças de 104.284, 53,2% menor que o mesmo período de 2019, onde havíamos embarcado 222.749 animais. “Os volumes embarcados estão menores em todos os meses analisados exatamente pela conjuntura atual da pandemia”, ressaltou o analista de mercado, Aron Ferro. 

De acordo com o levantamento realizado pela a Scot Consultoria, a Turquia, historicamente o principal país comprador do produto brasileiro, reduziu em 68,2% o volume na mesma comparação.

A consultoria ainda ressaltou que o valor pago por cabeça na média esteja maior (em valores nominais), não supre a grande diferença no número de cabeças, a receita obtida em 2020 é de US$38,7 milhões, contra US$71,2 milhões em 2019.

Confira os detalhes das exportações de gado vivo

Elaboração da Scot Consultoria com dados da Secretária de Comercio Exterior

Dados exportação gado vivo | Scot Consultoria

Dados exportação gado vivo | Scot Consultoria

Dados exportação gado vivo | Scot Consultoria

A Auditora Fiscal Federal Agropecuária responsável pelo controle de trânsito do MAPA, Soraya Elias Marredo, informou que novos processos de fiscalização de animais para a Turquia foram retomados na última semanas. “Com as negociações resolvidas, vamos retomar as exportações e temos vários processos de auditorias para realizar para os envios para a Turquia e alguns para o Egito, que tem se destacado”, explicou Marredo. 

Lund destaca que na última semana a Turquia informou que vai comprar 300 mil cabeças de gado vivo, sendo 200 mil da américa e 100 mil da europa. “Com a retomada das compras turcas, podemos ter uma bom desempenho das exportação no segundo semestre. No entanto, não vamos ver o mesmo volume exportado que nos anos anteriores”, afirmou o médico veterinário. 

Os compradores turcos têm preferência por comprar animais de raça europeia, na qual o Rio Grande do Sul possui demanda para atender. “O Uruguai é um grande competidor com o produto brasileiro, porém um ponto que favorece o Rio Grande do Sul é que as negociações são realizadas com empresas privadas, enquanto, no Uruguai as compras devem ser negociadas com o próprio governo”, pontua. 

Coronavírus

Com relação às medidas adotadas para a prevenção do coronavírus, o tempo do transporte quando realizado por navios (principal tipo), excede o período de incubação do vírus (9 a 15 dias), dessa forma, o vírus que poderia estar presente ali, não “sobrevive”. 

Segundo o Técnico do Departamento de Defesa Animal (DDA), Francisco Paulo Nunes Lopes, ressaltou que as medidas de prevenção ao COVID-19 são as mesmas de qualquer outro trabalho do Departamento de Defesa Agropecuária, etiqueta de distanciamento social, uso de máscaras e álcool gel frequentemente

“A SEAPDR acompanha o processo documental e fiscaliza os Estabelecimentos Pré-Embarque (EPE), que são as propriedades que realizam a quarentena dos animais antes da exportação. Acompanhamos desde a abertura das EPEs, a aquisição, concentração e testes dos animais e o embarque da EPE ao Porto de Rio Grande. A partir daí o acompanhamento no Porto é realizado pelo MAPA que fiscaliza o recebimento dos animais e o embarque no Navio”, explicou. 

Oferta restrita de animais

Outro fator que pode estar impactando nas exportações de gado vivo é a baixa disponibilidade de animais, na qual tem contribuído para a sustentação de arroba no mercado físico. “A baixa oferta de animais no período atual, influência nas negociações, mas como a questão das raças envolvidas nos abates se diferem, esta influência é diminuída, enquanto embarcamos Aberdeen, abatemos nelore”, pontuou Aron Ferro.

O analista da Scot Consultoria ainda explicou que o Brasil é um criador de nelores por excelência, alta adaptabilidade da raça para as nossas condições, e os principais compradores externos de bovinos vivos, não o aceitam para os embarques, dessa forma, a escassez de nelores para abates internos, não surte a influência que deveria ter caso as raças fossem as mesmas.

Pará

O estado do Pará é um dos principais estados exportadores, está praticamente paralisado no embarque de animais terminados, o que se tem visto, são os embarques de animais mais jovens, principalmente da raça Aberdeen. Vale lembrar aqui, que os países do Oriente Médio, principais compradores, não fazem a aquisição de animais zebuínos para consumo, os portadores do “cupim”.

Fonte:
 Notícias Agrícolas

 

Mercado de Boi Gordo
Média diária exportada de carne bovina in natura registra alta de 43,50% na 1ª semana de agosto.

O volume embarcado alcançou 44,06 mil toneladas de carne bovina na 1ª semana de agosto, sendo que no ano passado o total exportado ficou em 135,1 mil toneladas.
10 Ago 2020
Boi: Contratos futuros terminam a semana com desvalorizações na Bolsa Brasileira
Em dia de realização de lucros, os contratos futuros para o boi gordo finalizaram a sessão desta sexta-feira (07) com desvalorizações na B3.
07 Ago 2020
Exportações totais de carne bovina crescem e se aproximam das 200 mil toneladas/mês
O mercado chinês é o grande responsável por este crescimento, mantendo seu apetite mês a mês: em junho, compraram 77.200 t. e em julho as aquisições subiram para 115.186 t.
07 Ago 2020
Com a demanda chinesa aquecida, arroba do boi registra aumento no Mato Grosso do Sul
04 Ago 2020
A cotação do boi gordo registrou um aumento de 44,92% e 46,93% de alta na arroba da vaca, quando comparado ao igual período de 2019.
Boi: Cotações futuras finalizam a sessão desta 2ª com ligeiros ganhos na B3
03 Ago 2020
As referências futuras para o boi gordo finalizaram a sessão desta segunda-feira (03) com valorizações na Bolsa Brasileira (B3)
Volume exportado de carne bovina in natura atinge 169,2 mil toneladas em julho
03 Ago 2020
A média diária exportada de carne bovina in natura ficou em 7,3 mil toneladas e teve um aumento de 27,07% se comparado com o ano anterior.
Boi: Mercado físico registra poucos negócios diante da dificuldade de originar animais terminados
31 Jul 2020
Os contratos futuros para o boi gordo finalizaram a sessão com valorizações na B3. O vencimento Julho/20 encerrou cotado a R$ 225,30/@ com um ganho de 0,36%
Exportações de carne suína batem recorde para um mês de julho, superando em 24,55% em 2019
27 Jul 2020
A exportação de carne suína brasileira está perto de bater novamente o recorde atingido em maio, com chance de chegar às 90 mil de toneladas.
Com a demanda chinesa aquecida, média diária exportada de carne bovina avança 11% em uma semana
20 Jul 2020
A terceira semana de julho teve bom desempenho de exportações de carne bovina in natura, na qual foi embarcado cerca de 95,3 mil toneladas.
Em 13 dias úteis, exportação de carne suína chega a 79% da receita e 86% do volume de julho/19
20 Jul 2020
Passados 13 dias úteis de julho, as exportações de carne suína brasileira dão sinais de que podem chegar às 90 mil toneladas embarcadas até o fim do mês.
www.investbras.com.br
Contato
Fone: (34) 3832-0300
Rua Cesário Alvim, 1342 – 2º Piso, Sala 3
Centro - Patrocínio-MG
CEP 38740-040
Notícias sobre:
Investbras
Agente Autônomo de Investimentos

Ouvidoria Terra Investimentos
0800 940 0406