Mercado de Grãos

14 Jun 2021

Milho cai nesta 2ªfeira e ronda os R$ 90,00 na B3 com proximidade da colheita

A Bolsa de Chicago (CBOT) despencou neste primeiro dia da semana para os preços internacionais do milho futuro.

A segunda-feira (14) chega ao fim com os preços do milho caindo no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram percebidas valorizações apenas na praça do Oeste da Bahia.

Já as desvalorizações apareceram em Ubiratã/PR, Londrina/PR, Cascavel/PR, Marechal Cândido Rondon/PR, Pato Branco/PR, Rio do Sul/SC, Itiquira/MT, Tangará da Serra/MT, Campo Novo do Parecis/MT, Jataí/GO, Rio Verde/GO, Brasília/DF, Dourados/MS, Maracaju/MS, Campo Grande/MS, Eldorado/MS, Amambai/MS e Cândido Mota/SP.

Ainda nesta segunda-feira, o Cepea divulgou sua nota semanal apontando que, os preços do milho passaram a cair no mercado spot da maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea.

Segundo pesquisadores do Cepea, a pressão vem da proximidade da colheita da segunda safra 2020/21. “Agora, compradores estão adiando as negociações de grandes lotes, na perspectiva de melhores oportunidades com o avanço da colheita. Vendedores, por sua vez, estão receosos em ofertar volumes elevados, visto que os estoques estão baixos e muitos ainda estão incertos quanto à produtividade das lavouras”.

Dados divulgados na semana passada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirmam queda de 6,8% na produção de milho segunda safra 2020/21 frente à temporada passada, agora estimada em 69,9 milhões de toneladas.

B3

Os preços futuros do milho encerraram a segunda-feira recuando na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registraram movimentações negativas entre 2,53% e 4,09% ao final do primeiro dia da semana.

O vencimento julho/21 foi cotado à R$ 90,06 com queda de 2,53%, o setembro/21 valeu R$ 91,10 com desvalorização de 4,09%, o novembro/21 foi negociado por R$ 92,69 com baixa de 3,95% e o janeiro/21 teve valor de R$ 94,20 com perda de 4,07%.

Também nesta segunda-feira, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços divulgou, por meio da Secretaria de Comércio Exterior, seu relatório semanal que aponta as exportações acumuladas de diversos produtos agrícolas durante as duas primeiras semanas do mês de junho. 

Nestes 8 dias úteis do mês, o Brasil exportou 1.621,5 toneladas de milho não moído. Este volume é apenas 11,64% do total contabilizado durante o último mês de maio todo (13.919,9) e apenas 0,51% de tudo o que foi registrado durante junho de 2020 (312.210,8). 

Já o preço por tonelada obtido registrou elevação de 691,21% no período, saindo dos US$ 163,00 no ano passado para US$ 1289,60 neste mês de junho.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) despencou neste primeiro dia da semana para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registraram movimentações negativas entre 25,25 e 31,25 pontos ao final da segunda-feira.

O vencimento julho/21 foi cotado à US$ 6,59 com baixa de 25,25 pontos, o setembro/21 valeu US$ 5,98 com desvalorização de 31,25 pontos, o dezembro/21 foi negociado por US$ 5,81 com perda de 28,50 pontos e o março/21 teve valor de US$ 5,88 com queda de 28,00 pontos.

Esses índices representaram baixas, com relação ao fechamento da última sexta-feira, de 3,65% para o julho/21, de 4,93% para o setembro/21, de 4,60% para o dezembro/21 e de 4,55% para o março/22. 

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros do milho nos Estados Unidos caíram cerca de 4% na segunda-feira em uma mistura de vendas técnicas e previsões para melhorar o clima no meio-oeste, à medida que a safra se aproxima de uma fase importante de crescimento.

A publicação destaca que, alguns analistas viram as quedas nos grãos de segunda-feira como uma venda subsequente, após fracos fechamentos na sexta-feira nos futuros de milho e óleo de soja da CBOT. “Os fundos de commodities mantêm posições longas líquidas consideráveis ​​em ambas as commodities, deixando os mercados vulneráveis ​​a crises de liquidação de longo prazo”, relata Julie Ingwersen da Reuters Chicago.

Fonte:
 Notícias Agrícolas

 

Mercado de Grãos
Cotação do milho segue sustentada na cautela com o frio e sobe no Brasil nesta 3ªfeira

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) contabilizou um leve recuo para os preços internacionais do milho futuro.
27 Jul 2021
Preço do milho sobe no Brasil e fecha a 2ªfeira ultrapassando os R$ 102,00 na B3
Já no mercado internacional, o milho futuro se recuperaram e fecharam a segunda-feira subindo na Bolsa de Chicago (CBOT).
26 Jul 2021
Milho: Em terceira sessão de altas consecutivas na semana, B3 se aproxima dos R$ 100/sc
Na Bolsa de Chicago, os futuros do milho operam com estabilidade, marcando leves ganhos na tarde desta quarta-feira.
21 Jul 2021
Milho: Clima segue adverso para a safrinha e preços sobem no Brasil nesta 2ª
19 Jul 2021
Na Bolsa de Chicago, os futuros do cereal terminaram o dia com estabilidade.
Milho: Preços dão continuidade ao movimento de alta na B3 nesta 5ª
15 Jul 2021
Nesta quinta-feira (15), os preços do milho voltam a subir na B3 e seguem refletindo a pouca oferta do grão no mercado brasileiro.
Quebra de milho safrinha deve chegar a 70%, estimam produtores
13 Jul 2021
Segundo os agricultores, as perdas chegam a uma média de 70% da lavoura. A quebra de safra está relacionada a falta de chuvas e a ocorrência de geadas entre o fim de junho e o início de julho.
Milho recua na B3 de olho na importação, mas preços sobem no interior do BR
12 Jul 2021
Na Bolsa de Chicago, os preços terminaram o dia com boas altas, apesar da correção para cima nos números que o USDA trouxe nos números da safra nova dos EUA.
Volume exportado de carne bovina atinge 52,9 mil toneladas na segunda semana de julho/21
12 Jul 2021
A Secretaria de Comércio Exterior reportou que a média diária atingiu 7,5 mil toneladas, isso representa um avanço de 2,87% frente a média do total exportado em julho/2020.
Redução na projeção da 2ª safra de milho para 56,75 milhões de t
09 Jul 2021
A produção de milho da 2ª safra 2021, ou safrinha, da região Centro-Sul deverá totalizar 56,75 milhões de toneladas, com um recuo de 22,8% sobre o volume colhido no ano passado.
USDA reduz índice de lavouras de soja em boas/excelentes condições; mantém no milho
07 Jul 2021
O índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições caiu, na semana, de 60% para 59%, enquanto o mercado esperava por uma manutenção. No ano passado, eram 71%.
www.investbras.com.br
Contato
Fone: (34) 3832-0300
Rua Cesário Alvim, 1342 – 2º Piso, Sala 3
Centro - Patrocínio-MG
CEP 38740-040
Notícias sobre:
Investbras
Agente Autônomo de Investimentos

Ouvidoria Terra Investimentos
0800 940 0406